quarta-feira, 21 de março de 2018

Vereadores de São Pedro da Água Branca criam Comitê Parlamentar em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser Candidato


A Câmara Municipal de São Pedro da Água Branca lançou, neste último sábado (17), a Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser Candidato.

O requerimento de pedido de registro da Frente Parlamentar foi formalizado pelas Vereadoras Raquel Pereira/PT, Patrícia Carvalho/PR e pelos Vereadores Zé Lima/PT e Francildo Moura/PT.

O evento foi realizado no Plenário da Câmara Municipal e foi conduzido pelo Vereador Zé Lima, presidente da Câmara Municipal.

Na ocasião, também foi a lançado o Comitê Popular com o mesmo fim, defender a democracia e o direito do Lula ser candidato em 2018.

Além dos vereadores mencionados, participaram do Lançamento o Professor Ivan do Nascimento, Presidente do PT de São Pedro da Água Branca, Dep. Estadual, Zé Inácio do PT, Raimundo Monteiro, Dirigente Nacional do PT, Francimar Melo, Secretário Estadual de Organização do PT, Cricielle Muniz, Secretária Estadual de Comunicação do PT, Vereador Aurélio/PT de Imperatriz, Professora Fran, presidenta do PT de Santa Luzia, Antônio Erismar, dirigente Municipal do PT de Açailândia, Keilyano Hércules, presidente do PT de João Lisboa, Joberte Alves, representando o Dep. Federal Zé Carlos (PT), Gilson Rocha (PT), Vereador de Santa Luzia, militantes, dirigentes e simpatizantes.


Outras imagens do evento:








quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

JUSTIÇA SUSPENDE CARNAVAL 2018 DE SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA


A decisão liminar foi proferida hoje (08/02) pelo Juiz de Direito da Comarca de São Pedro da Água Branca-Ma, Dr. Bruno Nayro de Andrade Miranda em uma ação civil pública ajuizada pela Promotora Fabiana Santalucia Fernandes, contra o Município e o Prefeito Pelezinho.

Na ação civil pública o Ministério Público tinha como um dos pleitos liminares a suspensão do Carnaval 2018 com recursos do próprio município enquanto houvesse pendência no pagamento dos servidores públicos.

Como não foi possível efetivar o pagamento de todos os vencimentos em atraso antes do carnaval, a justiça atendeu ao pedido do MP e proibiu o evento.

Caso haja o descumprimento da proibição, o prefeito será multado em R$ 100.000,00 (cem mil reais) por cada dia de festividade.

Veja Decisão Liminar na íntegra CLICANDO AQUI!