quarta-feira, 12 de junho de 2013

Servidores da Educação de São Pedro farão paralisação de advertência amanhã (13/06) por falta de negociação com a prefeitura

O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de São Pedro da Água Branca – SINTESSP, propôs um Termo de Acordo Coletivo de Trabalho – ACT/2013, que inclui: os professores, diretores, vice-diretores, coordenadores, orientadores, supervisores, vigias, zeladoras, merendeiras em Estabelecimento da Rede Municipal.

A proposta de reajuste de salarial para servidores do magistério é de 13% (treze por cento) sobre o salário base. Em relação aos demais servidores (vigias, merendeiras, zeladoras, secretarias), o sindicato defende que o abono salarial de R$ 68,00 pagos a esses servidores seja transformado em percentual de 15% (treze por cento) sobre o salário base.

Dentre outros pontos da proposta de acorda está a redução a jornada de trabalho dos servidores do magistério em sala de aula em 1\3 (um terço) conforme disciplina a Lei Federal nº 11.738\2008 - Lei do Piso Salarial até o dia 01 de junho de 2013.

Depois várias tentativas do SINTEESP, a primeira reunião de negociação entre governo e sindicato ocorreu em 21 de maio, e a última aconteceu em 31 do mesmo mês. A partir de então por falta de disposição do governo municipal as negociações foram suspensas mesmo diante da insistência do Sindicato.

O impasse nas negociações se deu principalmente nas cláusulas de reajuste salarial. O governo ofereceu uma contra-proposta de 7% para servidores do magistério, e uma de 12% sobre o salário base dos demais servidores. Conforme estudo da folha de pagamento em confronto com a previsão de recursos para o exercício 2013, realizado pelo SINTEESP, a categoria acredita ser possível conquistar o reajuste pretendido.

No entanto, a prefeitura não se dispôs mais a se reunir com o SINTEESP, para retornar as negociações.
Diante dessa situação a categoria decidiu em Assembléia Geral realizada em 7 de junho, fazer uma PARALISAÇÃO DE ADVERTÊNCIA, caso o governo não retomasse as negociações no prazo de 72 horas. Como o governo não se manifestou, a categoria irá realizar a PARALISAÇÃO com duração de 24 horas, no dia 13 de junho (amanhã), afim que se retornem as negociações.

2 comentários:

  1. Como vai ficar essa Cidade? já não basta o absurdo de não ter água, e agora Educação e Saúde, porque os funcionários da saúde provavelmente, irão fazer o mesmo, já que esperam e estão nessa mesma situação desde Abril, haja paciência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como ficará não sei. Mas o SINTEESP só está fazendo valer-se de seus direitos cabe o governo municipal retomar as negociações com o Sindicato.E sobre a falta de Água vergonhoso uma empresa como a CAEMA que arrecada cerca de R$=65.000,00 em nosso Município, e já está a mais de trinta dias sem Água por não querer comprar uma BOMBA para repor a que está quebrada. Cabe a nós moradores de São Pedro denunciar ao Ministério Público e ver se ele tome as providencias cabíveis.

      Excluir