sábado, 29 de janeiro de 2011

Funcionários contratados recebem hoje o pagamento de dezembro 2010

A Prefeitura Municipal de São Pedro da Água Branca, efetuou hoje (29/01) pagamento referente ao mês de dezembro de 2010 aos funcionários  contratados.
Todos os funcionários públicos contratados pelo município que trabalharam durante o mês de dezembro receberam hoje seus vencimentos.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Sindicato dos Professores exige imediato pagamento do 13º para os contratados e 14º para os servidores do FUNDEB 60%

O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino de São Pedro da Água Branca – SINTEESP, exige do Governo Municipal o imediato pagamento do 13º salário para servidores contratados e um 14º salário aos servidores da educação que recebem do FUNDEB 60%.
Após várias tentativas de negociação com o Governo Municipal a Diretoria do SINTEESP se reuniu hoje pela manhã (28/01) e decidiu que irá mobilizar a classe no sentido de não darem início as aulas (prevista para 14 de fevereiro) até que sejam efetuados os pagamentos exigidos.
O Vereador Zé Lima participou da reunião e afirmou estar de acordo com os demais diretores do Sindicato. Disse que a paralisação é uma atitude radical, porém necessária, caso a prefeitura não faça os pagamentos.
O sindicato entende que o 13º salário para funcionários contratados é um direito, por isso a prefeitura não pode se negar a pagar.
Quanto ao 14º salário, se refere à sobra do recurso do FUNDEB 60%, que obrigatoriamente deve ser gasto em pagamento de professores. A diretoria do SINTEESP fez uma análise da folha de pagamento da educação de 2010 e verificou que houve sobras.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Big Brother vigia o telespectador


Desde 2002, todo começo de ano é a mesma coisa: tem Big Brother na TV. Com muito dinheiro dos anunciantes, milhares de candidatos e audiência garantida.

Por outro lado garante-se também a divulgação em larga escala do que há de pior nas relações humanas. São momentos onde homens e mulheres abandonam séculos de evolução cultural para se apresentarem ao público dotados apenas de instintos naturais, como o sexo e a luta pela sobrevivência.

O que escapa desses instintos reduz-se a comportamentos marcados por egoísmo, falsidade e preconceitos. Claro que há o lado do bem, apresentado como forma de justificar o mal.

No Brasil, a primeira versão do que ficou conhecido como reality-show apareceu há exatos dez anos com o programa “No Limite”, da Rede Globo. Era uma adaptação do “Survivor” exibido antes em outros países.  Nele, os participantes eram obrigados a chegar aos limites da sobrevivência comendo, por exemplo, ratos no Mar da China, na versão da CBS, nos Estados Unidos. Por aqui, comeram olhos de cabra.

Mas foram só duas edições. A primeira, talvez pelo impacto, chegou a dar picos de 56 pontos de audiência. A segunda, no entanto, já não despertou tanta atenção e foi substituída em 2002 pelo Big Brother Brasil, um formato comprado da empresa holandesa Edemol e espalhado pelo mundo.

É curioso notar que, na Europa, esse tipo de programa só surgiu com o aparecimento das televisões comerciais.  As emissoras públicas sempre foram muito mais cuidadosas com o nível de qualidade de suas programações. Big Brothers, portanto, são produtos da desregulação das economias, fenômeno que atinge seu auge nos anos 1990 e não poupa nem a televisão. 

No Brasil caiu como uma luva. Juntou num só programa dois formatos já consagrados pelo público: jogos e novelas. Não eram portanto novidades, como acontecera com o “No Limite” que deu certo apenas uma vez. O Big Brother mostrava de forma diferente alguma coisa que os telespectadores podiam identificar com facilidade.

Programas de auditório, desde o início da TV brasileira, levaram ao ar competições entre participantes, geralmente com prêmios em dinheiro ou em bens materiais. Com disputas nas quais não faltava a participação organizada de torcedores. Ingredientes refinados pelo Big Brother, com prêmios milionários, disputas pessoais que podem levar candidatos ao paredão e participação do público através de votações periódicas.

Tudo combinado com o melodrama da novela. Candidatos são selecionados cuidadosamente para desempenharem, no programa, papeis previamente estipulados. Alguns até se surpreendem ao perceberem que serão obrigados a exercer um tipo de comportamento diferente de sua personalidade ou estilo de vida no mundo  real, sob o risco de eliminação.  

As tramas são construídas de fora e desenvolvidas conforme o andar do programa. Como nas novelas, cujo roteiro vai sendo conduzido de acordo com as tendências do público. A diferença está na forma, por exemplo, de eliminar personagens que não estão dando boa audiência. Nas novelas geralmente eles morrem de forma repentina. No Big Brother vão para o paredão e são eliminados.

Outra característica da novela incorporada pelo Big Brother é a forma seriada do programa. Sempre fica para a edição seguinte alguma coisa não resolvida na anterior,  aguçando a curiosidade do público. Mesmo com resoluções apenas temporárias, uma vez que novos conflitos surgem sempre, a cada dia, até o grande momento final onde se escolhe o vencedor. 

É ai que se percebe a principal contradição do Big Brother. Trata-se de um formato estruturado sob a lógica do confinamento de um determinado grupo de pessoas numa casa sob o olhar de dezenas de câmaras de televisão. Ficam reclusos, relativamente isolados do mundo por alguns meses, como se estivessem presos.

Na verdade, não são os participantes que estão presos. Eles se inscreveram voluntariamente, passaram por uma seleção rigorosa e podem, se desejarem, deixar a casa a qualquer momento. Quem está preso é o telespectador, controlado cientificamente através de pesquisas quantitativas e qualitativas realizadas pela emissora e, a partir dos dados obtidos, vigiado diariamente pelos índices de audiência

São esses índices que estabelecem as mudanças de rumo das tramas e os resultados dos jogos, com o objetivo único de não perder nenhum telespectador. Este, por sua vez, se torna presa ainda mais fácil, na medida em que se julga livre para escolher outro canal e outro programa. É uma ilusão, uma vez que as alternativas oferecidas, especialmente na TV aberta, são do mesmo nível em termos de conteúdo, mas tecnicamente inferiores e, portanto, menos sedutoras. Não há escolha real.

É uma situação curiosa. Faz até lembrar uma observação feita por Marx a respeito dos homens que “sob o domínio da burguesia são idealmente mais livres que antes (no feudalismo), pois suas condições de vida lhes são fortuitas: na realidade, porém, são menos livres, pois estão submetidos à coerção das coisas”.

Quem acompanha o Big Brother está submetido a uma coerção cultural que vai muito além da própria televisão.  Ela é apenas uma das peças, ainda que muito importante, de um tripé do qual fazem parte um sistema educacional ainda deficiente e uma ideologia dominante privilegiadora do consumo e do individualismo. Comportamentos fortemente reforçados pelo programa.   

No livro “A dinâmica dos reality-shows na televisão brasileira”, o pesquisador Cláudio Ferreira, mostra como o Big Brother trata outros valores sociais. “Temas como sexo, namoro, homossexualidade e racismo são tratados a partir de parâmetros conservadores, mesmo que haja pressões, por parte dos participantes da competição, para que atitudes mais liberais sejam permitidas.  Antes de se balizar pela vontade dos concorrentes, a emissora leva em conta a  postura do telespectador médio”. Aquele detectado nas pesquisas.

Está  claro que a tal realidade anunciada e vendida pelo programa ao telespectador é uma farsa. Trata-se de uma cuidadosa manipulação de um pequeno grupo de pessoas elaborada para prender à frente dos televisores uma multidão desprovida de alternativas menos nocivas de lazer e entretenimento.

Enquanto as condições mais gerais da sociedade não mudarem restam apenas soluções paliativas para enfrentar os problemas causados pelo Big Brother. Como as propostas do Ministério Público Federal estabelecendo horários diferenciados para exibição do programa e mais cuidado com as cenas de sexo, violência e incentivo ao uso de bebidas alcoólicas.

(Artigo publicado originalmente na Revista do Brasil)

Laurindo Lalo Leal Filho, sociólogo e jornalista, é professor de Jornalismo da ECA-USP. É autor, entre outros, de “A TV sob controle – A resposta da sociedade ao poder da televisão” (Summus Editorial).


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Prefeituras de Axixá e Codó abrem concurso público

Estão abertas as inscrições de concurso público para as prefeituras de Axixá e Codó. Ao todo são 268 vagas disponíveis. Para a Prefeitura Municipal de Axixá serão distribuídas 58 vagas, para diversos cargos de caráter efetivo, com salários de até R$ 2.000. As inscrições serão realizadas no período de 17 de Janeiro de 2011 a 28 de Janeiro de 2011, no horário das 8h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h00 na Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Comunitário, localizada na Rua da Cruz, SN, Centro, ou via internet, através do endereço eletrônico www.consep-pi.com.br. O valor da taxa de inscrição será de R$ 20,00 para todos os cargos, devendo ser efetuado através de depósito na Agência 2555-0, Conta Corrente nº 30338-0, do Banco do Brasil.
Para a Prefeitura Municipal de Codó, serão 210 vagas destinadas a professores que atuarão na Educação Infantil e do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental. As inscrições poderão ser realizadas no período de 8h00 do dia 24 de janeiro de 2011 ás 23h59 do dia 30 de janeiro de 2011, via internet, através do endereço eletrônico www.fundacaojoaodovale.com.br.
O valor da taxa de Inscrição será de R$ 40,00 para todos os cargos, devendo ser pago até a data do vencimento.

Edital do Processo Seletivo 2011

O Prefeito Municipal de São Pedro da Água Branca-MA, por intermédio da Secretaria Municipal de Administração – SEMADSP tendo em vista o disposto na Lei Municipal nº 004/1997, torna público, para conhecimento dos interessados, que realizará Processo Seletivo Simplificado para Contratação Temporária de Pessoal.

Fonte: Portal São Pedro: http: //www.saopedro-ma.com.br/


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Prefeitura publicará Edital do Processo Seletivo nesta quinta

Segundo informações, nesta quinta-feira, 20 de janeiro, será publicado o edital do processo seletivo para contratar 86 funcionários  que irão trabalhar para a prefeitura municipal de São pedro da Água Branca. A maioria das vagas serão na área da Educação.
Ainda esse mês poderá sair o edital para o tão esperado CONCURSO PÚBLICO.

sábado, 15 de janeiro de 2011

Mais de R$ 15,6 Milhões foram repassados para São Pedro da Água Branca em 2010

De acordo com os sites oficiais dos governos Estadual e Federal, em 2010 foram transferidos mais de R$15.600.000,00 (QUINZE MILHÕES E SEISCENTOS MIL REAIS) para o município de São de Pedro da Água Branca.
Sendo que só do FUNDEB foram R$ 4.765.731,93. O  FPM foi de R$ 3.631.475,18 e o FUS - Fundo Saúde teve um total de R$ 966.733,43. Para a merenda escolar foram repassados R$ 269.770,00. Os recursos de convênios com o Governo Estadual liberados em 2010 foram no valor de R$  2.874.092,68. A prefeitura contou ainda com recursos no valor de R$ 1.217.000,00 adquiridos através de uma parceria com a VALE e a Associação de Pequenos Produtores do Bairro São José.
Do total de recursos, R$ 2.548.000,00 foram para serem aplicados em recuperação de estradas vicinais, outros  R$  262.325,20 foram para construções de casas populares. Para as festas culturais o governo Estadual repassou um total de R$ 120.000,00, sendo R$ 70.000,00 para o CARNAVAL e 50.000,00 para a FESTA JUNINA.
Há outros recursos que não foram possíveis serem  contabilizados por falta de dados disponíveis, como por exemplo a arrecadação própria do município, que geralmente ultrapassa a barreira de R$ 1.200.000,00.

Vereador Zé Lima expõe algumas de suas preocupações com o Governo Vanderlúcio


Já se passaram 2 anos desde que  assumi nosso segundo mandato de vereador, durante esse tempo procurei exercer a função com muito entusiasmo, compromisso e respeito aos que me elegeram e a todos  os  demais cidadãos e cidadãs que confiaram em mim.
São muitas as dificuldades encontradas neste segundo mandato. Mesmo depois de dois anos da posse do prefeito Vanderlúcio, da formação de um novo governo municipal, infelizmente nossa cidade continua com alguns dos seus velhos problemas, uns nos preocupam mais que outros, alguns já estão sendo resolvidos lentamente. Confesso que cheguei a imaginar que dessa vez as coisas resolveriam com mais facilidades, infelizmente há casos que não são bem assim. No entanto, venho assegurar a todos que continuo firme, usando de todos os instrumentos ao alcance do vereador (discursos, requerimentos, indicações,  projetos, participação nas Comissões  Permanentes), na defesa do nosso município e da melhoria da qualidade de vida dos sãopedrenses.
Tenho me preocupado muito com os rumos do governo do prefeito  Vanderlúcio, venho demonstrando isso nas poucas reuniões realizadas com o prefeito, vice-prefeito, secretários e vereadores. Venho atuando sempre com responsabilidade e respeito, apresentando  sugestões e críticas construtivas a esse governo que eu e meu partido (PT) ajudamos a construir com muita luta e sacrifício.
Fico profundamente entristecido quando percebo que certas injustiças que ocorriam na gestão anterior também acontecem na atual,  por exemplo, a atitude do prefeito de  se negar a pagar o 13º salário para os funcionários contratados e o rateio do FUNDEB para os professores.  Vejo com preocupação a maneira como está sendo tratada a Saúde Pública, uma área que vive numa situação delicada em nossa cidade. A falta de iluminação pública em vários pontos da cidade se torna cada vez mais recorrente. Além disso, falta transparência nos atos da administração, no uso dos recursos públicos. Lembro -me de que Vanderlúcio, ainda em campanha afirmava que iria divulgar em um  telão todos os gastos dos recursos do município, uma idéia louvável e eu espero que ainda seja executada.
O prefeito Vanderlúcio tem uma qualidade  extremamente importante, que é a sua capacidade de capitar recursos através de convênios com os governos Federal e Estadual, ele é esforçado e tem tido êxito. Porém, na minha humilde opinião, falta ouvir mais o povo, deve levar em consideração as antigas lutas de seus aliados. Atentar para as demandas dos sindicatos, das associações, dos comerciantes local e da classe política que sempre lhe deu apoio nos momentos mais difíceis. Creio que ainda há tempo de juntos fazermos um dos melhores governos da história da cidade de São Pedro da Água Branca. De qualquer modo garanto, que continuarei na luta em defesa deste município com toda a minha coragem, determinação e ousadia de sempre.

PRINCIPAIS AÇÕES DO VEREADOR ZÉ LIMA

LÍDER DO GOVERNO NA CÂMARA
Indicado pelo prefeito Vanderlúcio para ser o líder do governo na Câmara, o  vereador Zé Lima exerceu a função de março de 2009 a junho de 2010. Neste período desempenhou seu papel de líder com muito entusiasmo e dedicação, sempre demonstrando fidelidade ao governo. Procurou estabelecer diálogo com todos os parlamentares em especial com a oposição, desse modo garantiu a discussão e aprovação de todos projetos enviados à Câmara pelo Executivo.



MOTOTAXISTA E TAXISTAS
O vereador Zé Lima foi autor do Projeto de Lei Municipal de que regulamenta atividade dos mototaxistas e taxistas de São Pedro da Água Branca. Aprovado em agosto de 2009, o projeto era uma antiga demanda daqueles profissionais. Os mototaxistas e taxistas contaram com o apoio do vereador Zé Lima também na criação do SINDMOTASP, o sindicato da categoria.



EDUCAÇÃO
Presidente da Comissão Permanente de Educação e Cultura na Câmara, o vereador Zé Lima não mede esforços na luta em defesa da qualidade do ensino e na valorização do magistério. Seu mandato sempre esteve a disposição do SINTEESP - Sindicato do trabalhadores em Estabelecimento de Ensino de São Pedro. O vereador faz questão de participar de todas lutas levantadas pelo sindicato. Esteve presente, na paralisação dos professores em 2010 e garantiu que jamais abandonará a classe. Fez parte da Comissão de Negociação do Termo de Acordo Coletivo. Sempre defendendo melhores condições de trabalho e salários para os funcionários públicos.



TRABALHADORES  DA SAÚDE
Na luta dos Agentes Comunitários de Saúde pela aprovação da lei municipal que regulamenta suas atividades, o vereador Zé Lima se manteve aliado incansável.  O vereador também defendeu os interesses do SINDSAÚDE de São Pedro, na luta por melhores condições de trabalho e salários. 



BAIRRO SANTA MÔNICA
Convidado pelos moradores do novo bairro que está surgindo na área localizada no início da rua Floriano Pinheiros Torres, sentido Imperatriz, o vereador recebeu alguns pedidos dos moradores, dentre eles que aquele bairro recebesse o nome de Santa Mônica. Também pediram que o vereador os ajudassem na luta por Iluminação pública, Água encanada, e quebra molas naquela área. O vereador Zé Lima assumiu o compromisso com os moradores e encaminhou para a Câmara um projeto criando o BAIRRO SANTA MÔNICA, que foi aprovado imediatamente. Foram aprovados também  os requerimentos de sua autoria solicitando ao prefeito providência para instalação de iluminação pública, água encanada e a construção de quebra molas. O vereador e os moradores aguardam as providências do prefeito. 

ESTRADA DO MURUIM


Foi de autoria do vereador Zé lima o requerimento que solicitou a recuperação da estrada do povoado do Muruim. O requerimento foi atendido graças ao aliado do vereador Zé Lima, deputado Federal Washington Luis, atual vice-Governador, que garantiu o recurso para a obra no valor de R$ 400.000,00.

INSTALAÇÃO DA COMARCA DE SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA
No dia 27 de dezembro de 2010, o vereador Zé Lima fez parte de uma comissão formada por vereadores, o Secretário de Educação,  prefeito e o presidente do SINTEESP, que foram à São Luis numa audiência com o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão, desembargador Jamil Gildeon, para solicitar providências para instalação da Comarca no município.
A Comarca foi criada pela Lei Complementar número 87, de 19 de julho de 2005.
O presidente do TJMA garantiu que a instalação da Comarca de São Pedro da Água Branca ocorrerá ainda em 2011. A Prefeitura irá disponibilizar um prédio com toda a estrutura para o funcionamento do Fórum da Comarca.

CONCURSO PÚBLICO
O município de São Pedro desde sua criação passa uma situação difícil que a cada ano se torna mais delicada. Trata-se do grande número de pessoas que trabalham para o município sem ter passado por concurso público. 
Desde de seu primeiro mandato o vereador Zé Lima defende abertamente a realização de concurso público para os servidores municipais, por compreender que o concurso é uma forma legal para o cidadão ingressar no emprego público e principalmente por considerar que somente sendo concursados os servidores teriam todas as garantias trabalhista e o mais importante teriam a certeza de que não seria demitidos sempre que houvesse troca de prefeitos. Defende que os concursos devem ser realizados de maneira séria, onde todos tenham as mesmas chances. Tudo conforme a lei, para que não soframos mais as anulações de concursos feitos  irregularmente, e as intensas lutas judiciais.