domingo, 29 de agosto de 2010

SP: Mercadante sobe nove pontos e Alckmin cai três, aponta Ibope

A entrada do horário eleitoral gratuito em rádio e TV mudou o cenário da disputa ao governo de São Paulo. O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, que começou a campanha na condição de favorito absoluto, caiu três pontos percentuais. O tucano passou de 50% para 47% das intenções de voto, segundo pesquisa Ibope/O Estado de S. Paulo/TV Globo divulgada nesta sexta-feira (27).
Alckmin assiste, agora, à aproximação de Aloizio Mercadante (PT) – que subiu nove pontos desde a última sondagem Ibope, divulgada no dia 30 de julho, e saltou de 14% para 23%. Celso Russomanno (PP) atingiu 8%, enquanto Paulo Skaf, do PSB, marcou 2% e Fábio Feldmann (PV), 1%.
Luiz Carlos Prates, o Mancha (PSTU), Paulo Búfalo (PSOL), Igor Grabois (PCB) e Anaí Caproni (PCO) não pontuaram. Os votos brancos e nulos para a disputa ao governo paulista somam 7%. Os indecisos são 11%.
Em um possível cenário de segundo turno entre Alckmin e Mercadante, o candidato tucano também venceria, com 54% das intenções de voto. Nessas condições, o petista atingiria 30%. Brancos e nulos seriam 8%, mesmo porcentual de indecisos.
Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados os nomes dos candidatos, Alckmin lidera com 29% das intenções de voto. Mercadante assinalou 18% e Celso Russomanno, 4%. Skaf e Anaí Caproni marcaram 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Nessa modalidade, brancos e nulos somaram 8%. Os indecisos são 38%.
Alckmin e Mercadante partilham de índices de rejeição semelhantes entre o eleitorado paulista. De acordo com a sondagem, 15% não votariam de jeito nenhum no tucano e 16% descartam votar no petista.
O líder em rejeição é Mancha, do PSTU, com 23%. O candidato verde Fábio Feldmann manteve a menor rejeição entre os candidatos ao governo paulista. Ao todo, 8% dos eleitores não votariam no postulante do PV de jeito nenhum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário